Menu

Blog

Entenda a diferença entre intranet e rede social corporativa

Voltar para os posts

Colaboração, integração, compartilhamento de conteúdos. Termos como esses são cada vez mais frequentes no mundo corporativo. Ao longo dos anos, as empresas vêm buscando novas formas de aproximar os colaboradores dos diferentes setores da companhia, visando tornar a comunicação e o compartilhamento de informações mais eficientes. A tecnologia permitiu que essas empresas estabelecessem plataformas que permitissem essas trocas e, nesse sentido, as intranets e redes sociais corporativas se destacam como as mais recomendadas. Porém, como saber qual plataforma é mais adequada ao cenário da empresa? Quais as diferenças básicas entre elas? Bom, são essas perguntas que vamos tentar responder.

A diferença primordial entre intranets e redes sociais corporativas está no conceito de cada uma. A intranet caracteriza-se como uma versão privada de um site da internet, ou seja, uma rede de computadores privados que compatilham conteúdos e sistemas por meio de um ambiente único. A postagem de conteúdo acontece de forma centralizada, ou seja, por meio de um emissor que figura como a “voz da empresa”. Com a chegada do conceito de web 2.0, as intranet passaram a contar também com espaços colaborativos, como comentários, enquetes, fóruns entre outros recursos. Porém, mesmo com espaços para colaboração, a empresa ainda é responsável pelo fornecimento de conteúdo e moderação dos usuários.

Por outro lado, as redes sociais corporativas são espaços estruturados a partir das relações entre os usuários. Os conteúdos são fornecidos pelos próprios membros. Dessa forma, não existe um ponto central de informação. Todos os usuários são, ao mesmo tempo, emissores e receptores de conteúdo, interagindo entre si por meio de comunidades, grupos de trabalho, perfis pessoais, fóruns, entre outros. A moderação é feita pelos próprios usuários.

Durante algum tempo boa parte do mercado pensou que as redes sociais corporativas vieram para substituir as intranets, porém o que podemos observar é uma trajetória que tende ao encontro das duas. A tendência é a orientação ao conteúdo, típica das intranets, ir de encontro à orientação a pessoas, presente nas redes sociais corporativas. Conteúdo sem colaboração vira canal de noticias e repositório de documentos. Colaboração sem integração com os conteúdos e sistemas corporativos se perde e não gera os resultados esperados.

O que podemos concluir é que as duas tecnologias são complementares. Cabe à empresa definir seus objetivos e escolher se é melhor dar foco na geração e gestão de conteúdo, promovendo a colaboração e participação dos funcionários como algo complementar ou se é melhor focar nas interação entre os usuários, fornecendo conteúdos apenas para apoiar as atividades da rede.

E aí, qual estratégia mais se encaixa na realidade da sua empresa? Conte pra gente!

0 comentários

Comentar